Apresentação
Histórico e apresentação do projeto da UFDPar
A Proposta de Criação da UFDPar


A ideia de evoluir o Campus Ministro Reis Velloso (CMRV) para uma nova Universidade, a Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), por desmembramento da Universidade Federal do Piauí (UFPI), decorreu da necessidade de enfrentarmos os problemas regionais e dar continuidade ao ritmo de crescimento do CMRV nos últimos anos.


O primeiro resultado será a consolidação dos cursos já existentes, focados na sustentabilidade, na otimização dos recursos públicos, na gestão de qualidade e na inovação tecnológica. Com a nova proposta a população terá a oportunidade de estudar em uma instituição pública de qualidade legitimada, além de garantir a criação ou o aperfeiçoamento de serviços proporcionados através da atuação da Universidade na região do Baixo Parnaíba.


A Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar) será a segunda Universidade Federal criada no estado do Piauí, propiciando a redução das desigualdades regionais por meio de investimentos em educação. Além disto, desenvolverá suas atividades em uma vasta área que envolve as Mesorregiões próximas ao município de Parnaíba: a Mesorregião Norte do Piauí, a Mesorregião Noroeste do Ceará, a Mesorregião Norte e Leste do Maranhão, abrangendo aproximadamente 2.475.135 habitantes, segundo dados do IBGE.


Os principais impactos esperados da UFDPar são: a formação técnico-acadêmica de profissionais que respondam aos desafios propostos pelo desenvolvimento da região; a interiorização da gestão da Universidade; a formação de profissionais que busquem explorar de forma sustentável à biodiversidade da região, com vistas à biotecnologia; a ampliação dos cursos de graduação; a ampliação das oportunidades de formação qualificada; a redução das assimetrias regionais; a revitalização da região do Baixo Parnaíba e a modificação do excludente modelo de desenvolvimento regional.

Histórico da Proposta de Criação da UFDPar


Desde que assumimos a responsabilidade de uma carreira de professor de uma universidade pública, buscamos desenvolver o ensino, a pesquisa e a extensão dentro da UFPI. Buscamos desenvolver o ensino para edificar a qualidade técnica-científica dos profissionais na sociedade, ampliando com ações de pesquisa, tanto a teórica que busca ampliar os limites da ciência, quanto a prática, que busca aplicar o conhecimento, fazendo desse um mecanismo de mudança social, principalmente local, e o desenvolvimento maior da extensão, que tem a importante função da transposição dos muros da nova universidade, levando os conhecimentos, descobertas e tecnologias para a região na qual a Universidade está inserida, atendendo a população, com foco nas comunidades mais carentes e desassistidas pelo poder público.


Após todo esse percurso, decidimos focar os esforços no CMRV, e surge o sonho remoto da construção de uma nova universidade – independente, moderna, plural, participativa. Primeiramente tivemos o apoio da reitoria da UNIFESSPA (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará), na figura do generoso vice-Reitor Prof. Dr. Horácio Schnnaider, que em visita de pesquisa no Delta do rio Parnaíba, nos cedeu o projeto que foi fonte de inspiração e orientador de uma hercúlea tarefa: o de construir uma justificativa que fundamentasse a criação da UFDPar por desmembramento e emancipação do CMRV.


Buscamos o apoio dos deputados da bancada do Piauí, e após inúmeros contatos conseguimos o apoio do Deputado Paes Landin. Com o auxílio dele o projeto chega as mãos do então Ministro da Educação (Cid Ferreira Gomes). Semanas depois o Ministro é substituído. O projeto volta a nossas mãos, e com a ajuda de um problema mecânico, tendo que esperar algumas horas em Parnaíba, conseguimos agendar uma reunião, e esse projeto novamente é apresentado, mas agora para o novo Ministro (Aloísio Mercadante). Dias depois, em uma visita a Parnaíba, a ex-presidente Dilma também conhece o projeto. Após essa apresentação, e continuando a defesa desse ideal, ela promete publicamente defender a criação da UFDPar.


Meses depois a presidente é cassada, mas antes disso ela cria cinco novas universidades, entre elas a UFDPar, já no apagar das luzes de seu mandato. Após a manutenção do contato com os deputados, o projeto passou pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal, sendo aprovado, e agora tramita na Comissão de Educação do Ministério para a adequação do texto do projeto, em fase conclusiva.


Paralelamente a isso, internamente o trabalho não parou. Sob a indicação do Conselho Departamental (órgão colegiado máximo do CMRV) foram organizadas Comissões compostas pelos representantes eleitos democraticamente pelos seus respectivos pares colegiados, como seguem: Comissão de Ensino; Comissão de Extensão; Comissão de Pesquisa; Comissão de Planejamento; Comissão de Administração; Comissão de Gestão de Pessoal; Comissão de Assuntos Estudantis e Comunitários e por fim a Comissão Jurídica, que visa rever o texto de todas para adequação à legislação vigente.


Após dois anos de intenso trabalho foi dado um passo importante na construção coletiva da minuta do Estatuto da UFDPar com todas as comissões apresentando suas contribuições, construídas durante sucessivos encontros, numa apresentação no Conselho Departamental do CMRV, onde todas as comissões enviaram seus representantes. Os representantes de cada Comissão apresentaram propostas como resultado de todo o processo de discussão coletiva, e hoje é possível vislumbrar uma minuta de estatuto da UFDPar pensada de modo coletivo, participativo.


Mas ainda falta o passo mais importante que será dado após a criação da UFDPar: a consulta pública, que discutirá em plenária composta pelos três seguimentos da universidade (estudantes, professores e técnicos) o material proposto por seus representantes.


Diante disso, fica claro que o projeto dessa nova universidade, a UFDPar foi e será construído de forma colaborativa, participativa, plural, apartidária e democrática. As próximas etapas confluem para a ampliação da discussão coletiva dessa universidade, de forma que a comunidade acadêmica (alunos, técnicos e professores) se aproprie desse processo, conhecendo melhor a intrincada e complexa estrutura universitária, e esse processo, por si só, já promove o amadurecimento da instituição e das pessoas que a compõem, seu maior patrimônio.

Fotos

O Campus Ministro Reis Velloso, futuro local das instalações da UFDPar, está sendo estruturado para que se tenha as condições mínimas para a criação desta nova universidade no Piauí, a Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), como agente catalizador no desenvolvimento da região do norte do Piauí e adjacências.

 

Confira a estrutura que está sendo preparada para a nova Universidade, clicando aqui.

Localização da futura UFDPar